2 de jul de 2010

Copa do mundo

Este é o primeiro e certamente será o único post a respeito da copa do mundo de futebol.

Essa afirmação pode surpreender algumas pessoas, já que gosto muito desse esporte.

Fato é que, em relação à copa do mundo, não sinto mais tamanha emoção como outrora. Assisto aos jogos, vibro e tudo mais... todavia, a intensidade diminuiu. E sinceramente nem sei a razão disso.

Hoje nossa seleção perdeu pra Holanda (seleção pela qual sempre tive um carinho especial, talvez fruto da admiração pelo futebol apresentado em 74 e 78).

E foi uma derrota feia, com seu ápice na agressão do Felipe Melo. Penso que são em situações extremas, como a de hoje, é que a pessoa mais expõe seu caráter. Egoista, no mínimo: trata-se de um esporte coletivo; atitudes imbecis não prejudicam somente o autor, e sim todos.

Em relação ao Dunga, prefiro lembrar dele como jogador. Dava gosto de vê-lo jogar. É claro, tratava-se de um volante, marcador, mas a vontade, os bons passes e a liderança o faziam um jogador diferenciado. Como técnico, teve ótimos resultados, mas, parece que esses mesmos resultados fizeram que ele se encerrasse em sua própria teimosia.

Desde que me entendo por gente, nossa seleção sofre absurdamente com o sistema defensivo. E, parece que quando tivemos "a melhor defesa do mundo" (salve, poeta Galvão!), a habilidade, característica de nosso futebol, foi deixada de lado.

Sei que não adianta falar daqueles que não foram convocados. Mas, fazer o quê? Hoje, na dificuldade do segundo tempo, pensei no banco que tínhamos. Quem entraria? Júlio Baptista? Kléberson? E aí me lembro de Ronaldinho Gaúcho, Ganso, Alex...

Dentre os titulares, dois de nossas principais peças ofensivas, vindos de lesão, sem ritmo de jogo etc. Tudo sabido anteriormente...

Acredito muito que a razão está entre os extremos.

E que fique claro: não lamento a derrota. É lamentável a forma como se perdeu.

Pra quem já teve o prazer de ver os vídeos da nossa seleção de 82 pode entender o que digo. O time perdeu, mas a forma como jogou...

Ali sim, tem-se um exemplo dos caprichos desse esporte. A derrota de hoje, não!